Associação Desportiva Ateneu Mansor/Smel
Rua Saad Abdalla Gattaz, nº 200 - Sala 30 - Distrito Industrial
São José do Rio Preto - SP
Tel: (17) 99149-1280 - judoateneumansor@gmail.com
Coordenação: Léo Eduardo Secches Mansor
Faixa Preta 5º Dan - Professor de Educação Física (CREF 8.667 G/SP)

domingo, 5 de setembro de 2010

Sub 20 – outras 15 medalhas

fonte: www.cbj.com.br

A seleção brasileira Sub 20 esteve em ação no ESPN Wide World Of Sports Complex, em Orlando (EUA), para a disputa do Campeonato Pan-Americano da categoria. O Brasil luta por 15 medalhas neste segundo dia de evento.

O Brasil encerrou neste domingo (5), em Orlando (EUA), a participação no Campeonato Pan-Americano Sub 20 com 15 medalhas, sendo 11 de ouro, duas de prata e duas de bronze. Com 30 medalhas no total e o primeiro lugar no quadro geral de medalhas do evento, o país mantém a hegemonia continental do judô brasileiro desde o ano de 2002.
No Sub 20, foram campeões Allan Kuwabara (-60kg), Lucas Almeida (-73kg), Guilherme Cordeiro (-81kg), Jonas Inocêncio (-100kg), Daniel de Sousa (+100kg), Águeda Silva (-44kg), Nathália Brígida (-48kg), Eleudis Valentim (-52kg), Giullia Penalber (-57kg), Fernanda Peinado (-63kg) e Nadia Merli (-70kg), enquanto Sergio Yoshimura (-55kg) e Beatriz Mendonça (-78kg) ficaram com a medalha de prata e Walbercy Aiva (-66kg) e Raphael Warzee (-90kg) foram bronze.
Para o coordenador de categorias de base da Confederação Brasileira de Judô, Luiz Romariz, a principal meta em Orlando foi alcançada.
"O objetivo principal era manter a tradição do judô brasileiro e mostrar nossa força no continente. Agora é dar início a preparação para o Campeonato Mundial Sub 20, no próximo mês", explica Luiz Romariz.
Aos 18 anos, a atleta da categoria médio (-70kg), Nádia Merli, venceu o Pan e já faz planos para o restante da temporada.
Nadia"Para mim este Campeonato Pan-Americano era também uma seletiva para o Mundial. Preciso manter o foco e os treinos, além de estudar as adversárias", diz Nádia, que ressalta a importância do intercâmbio de 20 dias feito no mês março na Europa. "Foi a primeira vez que estive na Europa e deu para notar que na minha categoria as atletas têm muita força. Mas no nível técnico, não senti diferença", completa Nádia Merli.

Nenhum comentário:

Postar um comentário