Associação Desportiva Ateneu Mansor/Smel
Rua Saad Abdalla Gattaz, nº 200 - Sala 30 - Distrito Industrial
São José do Rio Preto - SP
Tel: (17) 99149-1280 - judoateneumansor@gmail.com
Coordenação: Léo Eduardo Secches Mansor
Faixa Preta 5º Dan - Professor de Educação Física (CREF 8.667 G/SP)

terça-feira, 5 de abril de 2011

Perto do pódio na estréia

Tenorio em 2008

Fonte: www.cpb.org.br

O Brasil ficou muito perto de sua primeira medalha no Campeonato Mundial da IBSA (para deficientes visuais), com a judoca do Mato Grosso do Sul Michele Ferreira, nesta terça-feira, 05, em Antalya, Turquia. Depois de vencer duas lutas por ippon, a brasileira perdeu na semifinal e depois na disputa de medalha de bronze. Nesta quarta-feira, 06, segundo dia de competições do judô, o Brasil entra no tatame com Lucia Teixeira (até 57 quilos), Daniela Bernardes da Silva (até 63 quilos), Eduardo Paes Amaral (até 73 quilos) e Harlley Damião Arruda (até 81 quilos).  
Michele Ferreira_Ibsa_Mundial Michele começou arrasadora. Na primeira luta precisou de apenas 44 segundos para aplicar um wazari e uma imobilização na japonesa Atsumi Tanaka. A brasileira usou a mesma combinação de wazari seguido de imobilização para superar Bolortova Purev, da Mongólia. Na luta, seguinte, valendo vaga para a final, ela provou do mesmo remédio contra a ucraniana Natalya Nikolaychyk. A disputa do bronze também foi rápida, com a russa Alesya Stepanyuk não dando chances à brasileira. Michele, que fazia sua primeira disputa internacional desde a medalha de bronze em Pequim, percebeu que o judô evoluiu desde então:
“Sabia que o nível estava alto, mas não esperava que estivesse tão alto. Lógico que estou triste por perder a medalha, mas também ganho motivação para lutar ainda mais e buscar vencer estas meninas que estão no pódio”, disse Michele, muito emocionada.
O técnico Jaime Bragança lembra que Michele conquistou pontos para a categoria no ranking classificatório para os Jogos Paraolímpicos de Londres:
“Foi muito importante porque não tínhamos marcado pontos no último Mundial. Esta competição é muito forte, pois os países podem inscrever dois atletas por categoria. Acredito que no segundo dia de competições vamos ter uma sorte melhor”.
Os outros brasileiros que lutaram nesta terça-feira não foram bem. Karla Cardoso, medalhista de bronze nos dois últimos Jogos Paraolímpicos, foi surpreendida pela ucraniana Yuliya Halinska por ippon logo em sua primeira luta na categoria até 48 quilos. O mesmo aconteceu com Halyson Boto (até 66k), que perdeu para Navruzbeck Palvannazarov, do Uzbequistão, enquanto Roberto Paixão chegou a ir para o golden score depois de comandar a luta até final, mas sofreu um ippon. Como os adversários perderam logo no segundo combate, nenhum teve a chance de ir para a repescagem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário